sábado, 11 de março de 2017

Mudando de área em Québec - minha experiência e dicas

No Brasil, geógrafa.
No Québec, analista de sistemas!
Mudar de área é uma decisão difícil, pois já fizemos uma escolha inicial. Não temos mais 15 anos, não queremos errar, não queremos perder tempo. A pressão interior de acertar é grande, os caminhos possíveis são infinitos (e ao mesmo tempo nebulosos!) e saber o que queremos não é a tarefa mais fácil do mundo! 

Muitas pessoas têm me procurando para conversar sobre minha experiência ao mudar de área aqui na cidade de Québec

Então vou contar também por aqui como eu descobri o que realmente queria e como foi minha mudança de área. Deixarei também minhas dicas e referências de sites para vocês!

Meu processo de mudança de área 

Minha idéia inicial era fazer um curso técnico. Eu sabia que queria trabalhar em escritório, então marquei um rendez-vous com um orientador do Cégep mais próximo de casa, o Cégep Limoilou. Ele escutou o que eu estava procurando e me recomendou o curso AEC en Bureautique et Comptabilité. E foi o que fiz.

Esse curso que fiz é focado no pacote Office, em redação de cartas comerciais e tem algumas matérias de francês e contabilidade. O curso era gratuito e eu tinha direito à bolsa e empréstimo por ser aluna a tempo integral e residente permanente.  

Ao terminar esse curso, após 1 ano e meio, eu comecei a trabalhar como 'commis aux comptes à recevoir' à tempo integral em uma universidade. Esse foco contábil do curso me ajudou, pois a maioria das vagas era para ser secretaria, ou seja, corrigir textos e acho que havia uma preferência por nativos da língua francesa. 

Enfim, tive um contrato temporário e as oportunidades permanentes eram como Technicienne en administration, o que exige geralmente e idealmente um DEC en Comptabilité et gestion

Eu não queria estudar em contabilidade, então pensei em completar as matérias que faltavam para eu ter um DEC en Bureautique e fazer um certificado universitário em Administration des affaires. A forma mais rápida que achei para completar o DEC em tempo parcial, foi através da RAC do Cégep Garneau. Uma outra forma de fazer um DEC à tempo parcial, mas não tão rápida, é pelo Cégep à distance

Um rápido parênteses sobre a RAC, funciona da seguinte maneira. Você participa de uma séance d'information sobre o curso que deseja fazer. Se desejar ir em frente, você faz um dossier completo com suas experiências, diplomas, preenche os formulários deles, etc. Eles vão agendar um rendez-vous com uma conselheira que analisara seu perfil. No fim desse rendez-vous você sabera exatamente quais cursos eles reconhecem da sua experiência acadêmica e profissional e quais cursos precisara fazer para completar o diploma desejado. Eu amei a experiência ! 

Acabei terminando o DEC e meu primeiro certificado ao mesmo tempo e assim que o diploma chegou eu prestei um concurso no governo como Technicienne en administration. Neste intervalo, eu decidi continuar meus estudos na faculdade e para decidir quais cursos eu iria fazer, eu procurei o serviço de orientação profissional

A orientação profissional me ajudou a compreender meu perfil, minhas preferências e qualidades pessoais e profissionais. Somado a isso, eu pesquisei as profissões que combinavam com meu perfil e como eu queria trabalhar no governo, eu comparei com as vagas disponíveis no governo pelo site do Revenu Québec e Carrières. Eu escolhi ser Analyste en informatique - Conseillère dans le domaine des technologies de l'information (concours 108).

Quanto a formação, geralmente é exigido um bacc en administration des affaires. Mas eu queria um formato diferente, pois os préalables de MAT desse bacc eram muito puxados. Além disso, o certificat en analyse des systèmes me parecia excelente, mas eu queria também um contato com a Gestão de projetos. Pesquisando, eu soube de um certificado novo que surgiu na faculdade, o certificat sur mesure en gestion de projet e achei que este certificado combinava bem com a profissão que escolhi (Analista de sistemas, Analista de negócios). 

Então eu fiz uma proposta de baccalauréat multidisciplinaire com estes 3 certificados que mencionei e foi aceito. Estou terminando o ultimo certificado (Gestion de projets) e gosto bastante, apesar de ser puxado. Trabalho atualmente no governo, como Analyste en informatique (tem um concurso aberto nesse momento!) e gosto muito da profissão que escolhi ! 

Resumindo, eu fui literalmente dançando conforme a musica, me descobrindo, entendendo melhor o mercado de acordo com minhas experiências e escolhas (não queria parar de trabalhar na área por exemplo). Foi um caminho longo, mas fiz amigas incríveis, sinto que tenho uma bagagem enorme sobre a cultura daqui, pois vivi muitas experiências na cidade. Me sinto muito valorizada profissionalmente e acho que o tempo so contribuiu ao meu favor. Claro que agora estou cansada, afinal estudar e trabalhar não é fácil e 7 anos de estudo em francês não é para qualquer um! Mas em breve vai acabar ! 

O lado bom e ruim dos cursos que escolhi

Para facilitar a leitura, vou mencionar apenas as siglas dos meus cursos. Não estou generalizando para todos os DECs, AECs e certificados. Estou relatando minha experiência dentro dos cursos que fiz e mencionei acima

Difícil dizer o que eu teria feito diferente, pois foi exatamente cada aprendizado que me levou a compreender o que eu queria realmente. Eu acho que o AEC me abriu portas, mas o DEC é o que é exigido para um trabalho técnico no Governo. O lado bom do AEC, foi que tive tempo de me adaptar, melhorar a língua e ter um primeiro diploma Québécois. E ele me permitiu reconhecerem essas matérias ao fazer o DEC de uma forma mais "acelerada", através da RAC (à tempo parcial, no meu ritmo, trabalhando). O DEC é o que é necessário para trabalhar como técnico no governo, são tarefas mais operacionais. 

Entrar na faculdade foi um choque incialmente, pois eu estava adaptada ao formato do ensino técnico. O ensino universitário é bem diferente, os alunos são mais autônomos e individualistas, os trabalhos bem mais exigentes e menos orientados. Os cursos são bem mais puxados e trabalhosos. Mas te permite estudar à tempo parcial, levar sua vida e trabalhar. Fazer um bacc a tempo parcial é bem longo, eu ja faz 4 quatro anos e me falta 1 ano de estudo. Mas acho que um bacc abre muito mais portas, te permite fazer tarefas mais estratégicas e ter um melhor salário melhor a longo prazo. 

Minhas dicas para quem deseja mudar de área 

1. Descubra seu perfil profissional, o que você gosta de fazer. Deixe seu e-mail nos comentários e posso mandar um dos tests que fiz.

2. Trace o que é importante para você a longo prazo, seus objetivos de vida.

3. Veja quais profissões correspondem melhor ao seu perfil (1) e aos seus objetivos de vida (2).

4. Pesquise sobre essas áreas, o mercado na sua cidade, quais são os cursos necessários,  e principalmente converse com pessoas dessa área ! 

5. Veja a melhor estratégia para realizar o curso que levara à profissão desejada (tempo integral, tempo parcial, etc)  

Referências



Vagas 




6 comentários:

Dani disse...

Vc poderia me passar esse tal teste para descobrir o perfil? Obrigada (danimartins@globo.com)

michelle disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
michelle disse...

Muito legal Mari, obrigada por compartilhar!
Gostaria de saber como funciona a bolsa para residente permanente, se dá pra se manter só com a bolsa e empréstimo, ou fica muito apertado...

Eu estou no processo de imigração e penso em fazer um DEC (eu ou meu marido, talvez os dois), mas tenho medo de passar fome, porque temos 2 bebes e 1 cachorro pra sustentar! hheehehe fico pensando se trabalhar no mercado ou num emprego 'basique' como vc disse for o mesmo valor da bolsa, compensaria nós dois estudarmos. o que vc acha?

beijos

Anônimo disse...

Sim, por favor! Já conversei com vc algumas vezes sobre a área financeira, que é a do meu marido mas a minha,ainda preciso ter certeza. Obrigada! (Keila - KEdu Quebec face) keilasuellen@hotmail.com

Maristela Godoy disse...

Ola Michelle! No site http://www.afe.gouv.qc.ca você encontra mais informações sobre o Prêts et bourses. No meu caso eu ganhava por mês em média 600$ e poucos (sendo o curso grátis). Sim, é bem apertado. Um emprego de salário minimo ganha 10,75$ a hora (vai aumentar para 11,25$ em maio). Da para tirar o dobro do Prêts et bourses por mês com um trabalho a salário mínimo.

michelle disse...

Obrigada!